quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Atitude


terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Amigo!

Quantos amigos você tem? Quantos são companheiros mesmo quando você não é "companheiro"? Qual é o amigo que você briga, humilha, bate e não precisa nem pedir desculpas?

domingo, 4 de dezembro de 2011

Liberdade!

sábado, 3 de dezembro de 2011

Agora nós somos livres...

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Pesquisa


quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Carta ao Papai Noel.


E ai bom velhinho,
Como via as coisas ai no polo sul? Derretendo? Parte da culpa do aquecimento global é tua também...
Outra vez estou escrevendo, faço isso desde que tinha 6 anos (no inicio minha irmãs ajudavam, hoje faço isso sozinho, que saudade de minhas irmãs) e nunca fui atendido. Mas em compensação muitos que não mereciam ganharam seus “presentinhos”.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Prepúcio sagrado


O Prepúcio sagrado (em Latim præputium) é uma das muitas relíquias católicas relacionadas com a figura de Jesus Cristo. Trata-se, alegadamente e como o próprio nome indica, do prepúcio de Jesus Cristo, retirado do seu corpo durante a circuncisão, ritual a que o povo judeu submete todos os seus rapazes. Por diversas vezes ao longo da história, houve várias igrejas ou catedrais a reclamar a sua posse, algumas ao mesmo tempo. Há vários milagres atribuídos a esta relíquia.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

The Grifter



Isso é um novo filme, tipo a Bruxa de Blair?

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Com vocês, o pênis


Homens e mulheres acotovelam-se em busca do melhor lugar para assistir ao espetáculo. Crianças acenam, emocionadas, com estatuetas nas mãos. Turistas disparam suas máquinas fotográficas. O clima de expectativa explode em euforia quando 12 homens vestidos de branco se aproximam, abrindo espaço entre a multidão em transe. Eles carregam um enorme pênis cuidadosamente esculpido em madeira, com 2,15 metros de comprimento e 320 quilos, e, com ele nos ombros, marcham por 2 quilômetros sob aplausos e saudações. Estranho? Bizarro? Não para os fiéis do santuário de Tagata, no Japão, que organizam esse festival anual em homenagem ao pênis há mais de 1 500 anos. Eles acreditam que isso garante a fertilidade e a prosperidade e protege a população do mal.

domingo, 31 de julho de 2011

Lili Elbe


Einar Wegener era um artista plástico casado com Greta, que seguia a mesma profissão do marido, na década de 20. Um dia, Greta decidiu pintar um retrato de uma mulher, e como não dispunha de uma modelo, pediu ao marido que se vestisse como garota.

sábado, 30 de julho de 2011

Lucifer o anjo


O Anjo que Amava

Lucifer é (ou era) o anjo mais lindo do céu, mas ele caiu há muitos anos, no inicio da criação. Seu crime é motivo de muitas historias. Alguns dizem que ele desobedeceu uma ordem de Deus (que ordem? A de matar ou a de servir aos humanos?), alguns dizem que ficou com ciúmes dos humanos e por isso se voltou contra Deus, outros dizem que por amar a Deus demais não aceitou a devoção que ele dedicava a sua mais nova criação. Eu acho que ele caiu por amor.Há historias de que Lilith foi a primeira mulher de Adão, mas quando ele começou a se revoltar Deus a expulsou do jardim do Eden e criou Eva que casou-se com Adão, foi enganada pela serpente, provocou a expulsão de ambos e blá blá blá. Onde Lucifer entra nessa historia? Simples. Se Adão teve duas mulheres porque Eva não poderia ter dois homens?Vou lhes contar minha versão da historia.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Demônio


Um demônio, ou ainda, "daimon" ou "daemon" é originalmente um tipo de ser que em muito se distanciou, mesmo que ainda se assemelhe, aos gênios da mitologia árabe, pois ao longo dos anos a sua descrição mudou, e segundo a maior parte das religiões, que dividem-se no mundo, como judaico-cristão, é um ser intermediário entre o homem e Deus, tipicamente descrita como um espírito do Mal, embora originalmente a palavra demônio, criada pelos gregos, signifique a voz interior, ou o deus que vive dentro de nós e nos aconselha, mas também pode ser a fonte de ódio.
São espíritos do folclore cristão, não havendo similar em religiões pagãs, existem em todas as formas e tamanhos e quase sempre querem fazer alguma coisa ruim.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Torquemada

Tomás de Torquemada (Valladolid, 1420 — Ávila, 16 de setembro de 1498) ou o O Grande Inquisidor foi o inquisidor-geral dos reinos de Castela e Aragão no século XV e confessor da rainha Isabel a Católica. Ele foi famosamente descrito pelo cronista espanhol Sebastián de Olmedo como "O martelo dos hereges, a luz de Espanha, o salvador do seu país, a honra do seu fim".

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Magia Sexual

É o termo ocultista para designar diversas práticas sexuais usadas com propósitos mágicos, místicos ou espirituais.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

As Bruxas e a Bruxaria

Uma bruxa é geralmente retratada no imaginário popular como uma mulher velha, nariguda e encarquilhada, exímia e contumaz manipuladora de Magia Negra e dotada de uma gargalhada terrível. É inegável a conexão entre esta visão e a visão da Hag ou Crone' (é uma criatura feia e velha, um tipo de fada idosa ou até uma deusa ou divindade selvagem, que vive em florestas escuras e isoladas e que se alimentam de carne, muitas vezes humana.) dos anglófonos (falantes da Língua Inglesa). É também muito popularizada a imagem da bruxa como a de uma mulher sentada sobre uma vassoura voadora, ou com a mesma passada por entre as pernas, andando aos pulos. Alguns autores utilizam o termo, contudo, para designar as mulheres sábias detentoras de conhecimentos sobre a natureza e, possivelmente, magia.

sábado, 16 de julho de 2011

Licantropia clínica

No distúrbio psiquiátrico da licantropia, acredita-se que exista um transtorno do senso de identidade própria segundo a definição de Scharfetter.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Licantropo

Lobisomem ou licantropo (do grego), é um ser lendário, com origem em tradições europeias, segundo as quais, um homem pode se transformar em lobo ou em algo semelhante a um lobo em noites de lua cheia, só voltando à forma humana ao amanhecer.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Arisa

Cada dia que descubro mais sobre ela, cada vez gosto mais dela...

domingo, 10 de julho de 2011

Mito e verdade

O vampiro é um personagem muito comum na literatura de horror e mitologia, existindo tantas versões do seu mito quanto existem usos desse conceito. Segundo a lenda,vampiro é um ente mitológico que se alimenta de sangue humano. Podemos identificar alguns pontos na mitologia moderna em comum e são eles, o facto de ele precisar de sangue (preferencialmente humano) para sobreviver, podendo se transformar em morcego e de poder ser morto por uma estaca no coração preferencialmente de carvalho. Segundo a lenda, os vampiros podem controlar animais daninhos e noturnos, podem desaparecer numa névoa e possuem um poder de sedução muito forte. Formas de combatê-los incluiriam o uso de objetos com valor sagrado tais como hóstia consagrada, rosários, metais consagrados, alhos, água benta, etc. vampiro Histórias sobre seres com correspondência ao vampiro moderno são bastante antigas e aparecem em mitologia de muitos povos, principalmente dos da Europa e do Médio Oriente, na mitologia da Suméria e suas sucessoras na Mesopotâmia, onde surge como filho de Lilith (é referida na Cabala como a primeira mulher do bíblico Adão, sendo que em uma passagem ela é acusada de ser a serpente que levou Eva a comer o fruto proibido), se confundindo com Incubus (é um demônio na forma masculina que se encontra com mulheres dormindo, a fim de ter uma relação sexual com elas. O íncubo drena a energia da mulher para se alimentar, e na maioria das vezes deixa-a morta ou então viva, mas em condições muito frágeis).
O vampirismo é também uma vertente obscura e misteriosa dos estudos ocultistas, baseado em espiritualidade predatória. Os conceitos de vampirismo sob esta análise distinguem-se do vampirismo observado na ficção bem como os conceitos espalhados pela sua mitologia.Vampirismo, também conhecido como vampirismo real, é uma parafilia na qual o indivíduo apresenta obsessão de sugar o sangue do seu parceiro sexual, sendo considerado uma forma de sadismo.Em inglês é conhecido como clinical vampirism, literalmente vampirismo clínico, e Renfield's syndrome, literalmente síndrome de Renfield. O termo Renfield foi usado pela primeira vez, de forma arbitrária, pelo psicólogo americano Richard Noll, numa homenagem ao assistente do Drácula que se alimentava de insetos, Renfield, no romance de Bram Stoker. Este termo tem sido usado na literatura psiquiátrica e ficcional.As pessoas que sofrem desta condição são principalmente do sexo masculino. O desejo de sangue surge a partir da ideia deste transmitir poderes que melhoram a vida. De acordo com Noll, a condição é iniciada com um acontecimento chave na infância que faz com que a experiência da perda de de sangue ou a sua ingestão passe a ser excitante. Após a puberdade, a excitação é vivida como uma estimulação sexual. Em toda a adolescência e idade adulta, o sangue, a sua presença e o seu consumo podem também estimular uma sensação de poder e controlo. Segundo Noll, o vampirismo começa com autovampirismo e, em seguida, avança para o consumo do sangue de outras criaturas.
Muito poucos casos desta parafilia têm sido descritos, e os relatórios publicados que existem referem-se ao que tem sido proposto como vampirismo através do uso de categorias oficiais de diagnósticos psiquiátricos como esquizofrenia ou como uma variedade de parafilia. Um certo número de assassinos aparentemente executou rituais vampíricos sobre as suas vítimas. Os assassinos em série Peter kürten e Richard Trenton Chase foram ambos chamados "vampiros" nos jornais após se ter descoberto que bebiam o sangue das vítimas que assassinavam. Da mesma forma, em 1932, um caso de assassinato não resolvido em Estocolmo, Suécia foi apelidado de "assassinato de vampiro", devido às circunstâncias da morte da vítima.
Não foram os únicos assassinos a serem associados ao vampirismo: Erzsébet Báthory, foi uma condessa húngara da renomada família Báthory que entrou para a História por uma suposta série de crimes hediondos e cruéis que teria cometido, vinculados com sua obsessão pela beleza. Como consequência, ela ficou conhecida como "A condessa sangrenta" e "A condessa Drácula". 
Tsutomu Miyazaki, era um ex-técnico de fotógrafo e colecionador de mangá, na cidade de Ōme, perto de Tóquio, no Japão. Entre 1988 e 1989, Miyazaki, mutilou e matou quatro meninas, ele então molestrou sexualmente os cadáveres, bebeu o sangue de uma vítima e comeu-lhe a mão. Conhecido como O Assassino das Nifetas, O Assassino Otaku, O Assassino da Menina Pequena e Drácula.
Vlad III, Príncipe da Valáquia, comumente conhecido como Vlad, o Empalador (em romeno: Vlad Țepeș) ou Drácula, foi príncipe da Valáquia por três vezes, governando a região em 1448, de 1456 a 1462 e em 1476.era conhecido por sua crueldade, tanto com seus súditos, quanto contra seus inimigos. Referindo-se ao seu título, O Empalador, Tepes era assíduo adepto dessa prática. Houve situações em que Tepes mandava empalar famílias inteiras, e usava seus principais métodos de tortura contra os soldados de tropas inimigas.
Drácula é um romance de 1897 escrito pelo autor irlandês Bram Stoker, tendo como protagonista o vampiro Conde Drácula. Sem dúvida trata-se do mais famoso conto de vampiros da literatura. O romance tem sido designado como vários gêneros literários, incluindo literatura de vampiros, ficção de horror e romance gótico. O Conde Drácula do livro de Bram Stoker pode ter sido inspirado príncipe Vlad Tepes, que nasceu em 1431 e governou o território que corresponde à atual Romênia. Nessa época, a Romênia estava dividida entre o mundo cristão e o mundo muçulmano. Vlad III ficou conhecido pela perversidade com que tratava seus inimigos. Embora não fosse um vampiro, sua crueldade alimentava o imaginário de modo que logo passou para o conhecimento popular como um vampiro.

sábado, 9 de julho de 2011

Arisa...

Quem é ela?

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Abdul... Aqui, Paracelso, na Irmandade

Sou uma pessoa muito preocupada com o mundo (real e com o oculto), faço parte da Irmandade das Rosas Negras, procuro uma explicação para o meu 'ser diferente', ajudo (a minha maneira) a combater a desigualdade e intolerância. Sei que tenho muito a aprender e crescer, reprimo muito meus 'instintos sexuais', os quais não consigo entender. Defendo minhas convicções e meus direitos, sou metodico e perfeccionista, sou anti social e me sinto muito deslocado em ambientes com muitas pessoas.
Penso muito, analiso tudo, sou desconfiado... Sou cristão (filosoficamente) mas minha fé não se limita a um conceito.
Na internet busco pessoas que acrescentem a minha busca e descoberta do oculto.
Em minha vida, sou calmo, dedicado ao trabalho, separado, solitário e tímido. Ainda busco minha 'alma gêmea', sou heterossexual, tímido e ainda acho que sexo só é ótimo quando com quem amamos.
Contatos:

domingo, 3 de julho de 2011

Uma criatura da noite


Sou Conhecido entre os irmãos como Vladi, O caçador, sou parte do clã dos Cenobitas, e também sou do conselho (ou primeiro circulo).

Sou casado, tenho filhos, trabalho e sou ateu. Uma pessoa normal, com virtudes, defeitos, problemas...
Na internet sou conhecido como Ksado 100 Vergonha, tenho um blogue (blog é coisa de gringo), onde há fotos minhas (bem 100 vergonha) e ondem podem fazer conato para swing e menage.
Acredito que só o sexo liberta os instintos e o corpo... Além de ser muito bom!
Contatos com Ksado 100 Vergonha: ksado100vergonha@live.com
Com Vladi, O caçador, somente através comentarios neste blogue ou em Rosas Negras.

sábado, 2 de julho de 2011

A noite das fogueiras


Guy Fawkes (Iorque, 13 de abril de 1570 — Londres, 31 de janeiro de 1606), também conhecido como Guido Fawkes, foi um soldado inglês católico que teve participação na "Conspiração da pólvora" (Gunpowder Plot) na qual se pretendia assassinar o rei protestante Jaime I da Inglaterra e todos os membros do parlamento durante uma sessão em 1605, objetivando o início de um levante católico. Guy Fawkes era o responsável por guardar os barris de pólvora que seriam utilizados para explodir o Parlamento do Reino Unido durante a sessão.
Porém a conspiração foi desarmada e após o seu interrogatório e tortura, São Guy Fawkes foi executado na forca por traição e tentativa de assassinato. Outros participantes da conspiração acabaram tendo o mesmo destino. Sua captura é celebrada até os dias atuais no dia 5 de novembro, na "Noite das Fogueiras" (Bonfire Night).Guy Fawkes nasceu na cidade de Iorque, e se converteu ao Catolicismo aos dezesseis anos. Como soldado era especialista em explosivos. Por ser simpatizante dos espanhóis católicos, adotou também a versão espanhola de seu nome francês: Guido.A Conspiração da Pólvora foi um levante liderado por Robert Catesby, que foi executado, assim como outros católicos insatisfeitos, pela repressão empreendida pelo rei protestante Jaime I. O objetivo deles era explodir o parlamento inglês utilizando trinta e seis barris de pólvora estocados sob o prédio durante uma sessão na qual estaria presente o rei e todos os parlamentares. Guy Fawkes, como especialista em explosivos, seria responsável pela detonação da pólvora.Porém os conspiradores notaram que o ato poderia levar à morte de diversos inocentes e defensores da causa católica, portanto enviaram avisos para que alguns deles mantivessem distância do parlamento no dia do ataque. Para infelicidade dos conspiradores, um dos avisos chegou aos ouvidos do rei, o qual ordenou uma revista no prédio do parlamento. Assim acabaram encontrando Guy Fawkes guardando a pólvora.
Ainda nos dias de hoje o rei ou rainha vai até o parlamento apenas uma vez ao ano para uma sessão especial, sendo mantida a tradição de se revistar os subterrâneos do prédio, antes da sessão. Do mesmo modo foi mantida a tradição de celebrar no dia 5 de novembro a Noite das Fogueiras. Nesta noite é tradição malhar e queimar em fogueiras, bonecos que representam Fawkes, e soltar fogos de artifício.
Uma rima tradicional foi criada em alusão à Conspiração da Pólvora:
"Remember, remember, the 5th of NovemberThe gunpowder, treason and plot;I know of no reason, why the gunpowder treasonShould ever be forgot."
Tradução livre:
"Lembrai, lembrai, o cinco de novembroA pólvora, a traição e o ardil;Por isso não vejo como esquecer;Uma traição de pólvora tão vil;
No jogo de videogame Fallout 3, há um personagem que adotou o nome Fawkes. Quando questionado sobre o porque do nome, diz que era o nome de alguém "Que lutou e morreu pelo o que acreditava". 
A graphic novel V de Vingança, com roteiro de Alan Moore e arte de David Lloyd, possui fortes influências da "Conspiração da Pólvora". Um dos personagens que atende pelo codinome V acaba por concretizar os planos da conspiração explodindo o parlamento inglês num futuro dia 5 de Novembro. Este personagem esconde seu rosto atrás de uma máscara de Guy Fawkes usada na Noite das Fogueiras e o objetivo dele é iniciar um levante contra um regime fascista que se instalou na Inglaterra após uma guerra biológica.


sexta-feira, 1 de julho de 2011

Anonymous

Vampires, veneficas, magi ... Expergiscere, expergiscere ... Surge, pugna contra mala ... Nulla eget turpis nostra, Anonymous.

domingo, 26 de junho de 2011

Alguém lembra dessa musica:
Blue Savana (Eurasure)
Quando eu tinha uns 10 anos ela foi um sucesso, ontem olhando no Youtube encontrei ela, mas o que mais chamou a minha atenção, que com a moda que tem de chamar a Lady Gaga de "demônio" ou membro dos "Illuminati", imagino se tivessem visto esse clipe... Muito pirado, com referências ao ocultismo celta, ao deuses nórdicos e muito sensualismo (implícito) gay...

Você não sabe do que estou falando? Lady Gaga é o maior fenômeno e se você quer ter acessos em seu blogue basta colocar as palavras 'lady' e 'gaga', e se você falar mal com certeza vai ter mais visitantes. O mecanismo e facil de entender. se você escrever para os fãs, recebe só visita de fãs, mas se escreve para quem não gosta dela, você recebe visitas de quem não gosta dela e do que gostam dela...
Entre as perolas que encontrei na internet, achei esse blogue: Apocalink, um blogue mnuito pirado, cheio de teorias de conspirações, muito racista e preconceituoso. Mas nem tudo é horrivel: "Apocalink, Belém, Pará, BrazilMeu nome é Fernando Ramos, e este é meu blog pessoal, que gira em torno de alguns dos meus temas favoritos.Um projeto que através de pesquisas profundas,abrange matérias e artigos traduzidos ,o engano dos Ovnis, os Illuminati,a Nova Ordem Mundial, a indústria do entretenimento ocultista, o paranormal, o simbolismo da cultura popular, conspirações, teorias alternativas e temas esotéricos. A Bíblia Sagrada é a referência e base para a análise dos artigos neste blog.", Imagina o negocio que sai dai...
Acho que você deve dar uma olhada, não por que é ruim (ou bom), mas para você fazer sua avaliação... E depois deixe seu parecer aqui... Talvez seja eu com mania de perseguição...

sexta-feira, 24 de junho de 2011

A verdade e a mentira...


Mentira?
O Necronomicon é um livro fictício de invocação de demônios escrito pelo, também fictício, Abdul Alhazred, um poeta árabe louco.  O livro também seria conhecido como Al Azif (Uivo dos Demônios Noturnos). Segundo Lovecraft, azif é o nome usado pelos árabes para designar aquele barulho noturno, produzido pelos insetos, que supõem ser o uivo de demónios.  Necronomicon seria a tradução em grego do livro e significa algo como “Livro dos mortos” ou “Livro dos Nomes Mortos”.
O mito que se criou sobre a existência real deste livro, foi fomentado especialmente pela publicação de vários falsos Necronomicons e por um texto, da autoria do próprio Lovecraft, explicando a sua origem e percurso histórico.
Nesse ponto ele foi bastante detalhista, conferindo uma biografia para  Abdul Alhazred em que consta que ele teria nascido em nasceu em Sanna no Iêmen, e que teria scrito o livro por volta de 730 d.C, em Damasco. Ao contrário do que se pensa, não seria apenas uma lista de rituais e encantos, mas uma narrativa longa e complexa, sendo que alguns trechos isolados descreveriam rituais e fórmulas mágicas.  Nele são descritos numerosos rituais para ressuscitar os mortos, contactar com entidades sobrenaturais, viajar pelas dimensões aonde habitam estes seres, trazer de volta a Terra antigas divindades banidas e aprisionadas, etc. É mencionado ainda a sua simples leitura poderia para provocar a loucura e a morte.
Nesse ponto, Lovecraft inspirou-se em seus conhecimentos sobre mitologia antiga. Há referências à Biblia, aos mitos árabes e hebraicos como os Nephilins (seres gigantes, filhos anjos caídos que teriam descido à terra para possuir as mulheres humanas), e até mesmo referências à mitologia nórdica. Acompanhado da fictícia biografia de  Abdul Alhazred havia é claro uma teoria da conspiração envolvendo o Necronomicon através dos tempos. Nela, Lovecraft afirma que o livro teria sido banido pelo Papa Gregório IX em 1232, logo após a sua tradução para o latim, e que dos exemplares ainda existentes um está guardado no Museu Britânico em Londres e outro na Biblioteca Nacional em Paris.
Usando esta fórmula de atribuição a um autor antigo de um livro, cuja cópia em seu poder seria a última existente, o autor desenvolve a idéia de um livro mágico citado em suas obras, creditando possíveis excessos à alma de poeta do “autor” original do texto, que seria o tal poeta louco.
O recurso literário de se atribuir a um autor antigo a verdadeira autoria de sua obra já foi utilizada por escritores como Jorge Luís Borges e Umberto Eco.
Mesmo negando a existência real do livro, inúmeros fãs escreviam cartas a Lovecraft querendo informações sobre a autenticidade do mesmo. Um fenômeno parecido ao que aconteceu com o escritor Conan Doyle, que recebia cartas enviadas por pessoas que achavam que Sherlock Holmes existia de fato.
Entre os escritores que escreveram um Necronomicons falsos está o italiano Frank G. Ripel, fundador de uma Escola de Mistérios – a Ordem Rosa Mística. Em um de seus livros – La Magia Lunar – Ripel fornece uma tradução em castelhano do “verdadeiro Necronomicon” que, segundo Ripel, teria sido formulado há mais ou menos 4.000 anos a.C.
Entre as muitas lendas surgidas e teorias da conspiração surgidas em torno do Necronomicon há as que o ligam a figura controversa do polêmico ocultista britânico, Aleister Crowley e até mesmo aos nazistas.


Verdade? 
Filósofo árabe nascido em Sanaa, no Iêmen, autor de O Necronomicon (730), que literalmente que dizer Livro de Nomes Mortos, também conhecido como Al Azif ou Uivo dos demônios noturnos, Familiarizado com os trabalhos do filósofo grego Proclos (410-485 d.C.), sendo considerado, como ele, um neo-platônico. Seu conhecimento, como o de seu mestre, incluia matemática, filosofia, astronomia, além de ciências metafísicas baseadas na cultura pré-cristã de egípcios e caldeus. Dominava vários idiomas e fez várias viagens em busca de conhecimento, indo de.Alexandria ao Pundjab, na Índia, conheceu os subterrâneos de Mênfis e as ruínas da Babilônia, e viveu muitos anos nos grandes desertos despovoado do sul da Arábia, como Roba el Khaliyeh e Dahna, e morreu em Damasco. Embora conhecido como árabe louco, nada há que comprove sua insanidade, muito embora sua prosa não fosse de modo algum coerente. Apesar de certas extravagâncias na hora de escrever, além do caráter dispersivo, foi um excelente tradutor, dedicando-se a explorar os segredos do passado e também era um poeta. Durante seus estudos, costumava acender um incenso feito da mistura de diversas ervas, entre elas o ópio e o haxixe. As emanações desse incenso, segundo diziam, ajudavam a "clarear" o passado. Al Azif foi escrito em Damasco, e seu texto felizmente sobreviveu graças a ação do historiador bizantino, Miguel Psellus (1018-1080), um estudioso de filosofia e ocultismo, que ainda pôde salvar das pilhagens de Bizâncio uma versão grega sua do original. Ao contrário do que se pensa vulgarmente, não se trata de um grimório, livro mágico de encantos, mas de um livro de histórias. Do original, chegou à cerca de 900 páginas na edição latina, em sete volumes, e seu conteúdo dizia respeito à coisas antigas, supostas civilizações anteriores à raça humana, em uma narrativa obscura e quase ilegível.
 (http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/AbduAlha.html)